seo-on-page-guia-definitivo-otimizacao-de-sites af

SEO on page: o Guia Definitivo para a otimização de sites

Pretende saber como otimizar o seu site (SEO on page) de forma a aumentar o tráfego orgânico?

Então este é o artigo que lhe irá dar essa resposta.

Inicialmente, já deve ter uma palavra chave em mente que pretende melhorar a sua posição no Google.

Até possivelmente já tem bastante conteúdo sobre o assunto.

Mas falta o elemento chave “otimizar” esse conteúdo para que o Google considere melhorar a sua classificação e quem sabe até entenda que merece um dos primeiros lugares nos resultados de pesquisa.

A verdade é que não é assim tão complicado como possa pensar. Basta seguir as nossas orientações e vai com certeza conquistar posições.

Acreditamos que deve estar-se a questionar – Qual o motivo para a Convergente como Agência de Marketing Digital estar a compartilhar esta informação gratuitamente, sendo que oferece o serviço de SEO on page?

É legitimo, mas adoramos compartilhar conhecimento e gostamos que os nossos Clientes percebam e valorizem o nosso trabalho.

Assim sendo, sugerimos que leia com atenção este artigo.

Antes de avançarmos para as técnicas de SEO, devemos primeiro entender o que é o SEO on page.

 

O que é o SEO On-Page?

O SEO on page tem como referência o ato de “otimizar” páginas de um determinado site por forma a garantir que estas obtenham a melhor classificação nos motores de busca.

Claramente, o objetivo final é alcançar os primeiros resultados de pesquisa e aumentar o tráfego orgânico no site.

Já referimos “otimizar” algumas vezes… sem explicar o que é exatamente, ora bem, já deve ter lido na Internet que o processo de “otimização” é se concentrar exclusivamente na implementação de palavras chave ou keywords, tomemos como exemplo “SEO on page“:

  • Título: SEO on page o guia para o Sucesso
  • Meta Descrição: SEO on page um guia definitivo para aumentar o tráfego do site e alcançar a primeira posição no Google.
  • H1: SEO on page o que é?
  • H2: SEO on page quais as técnicas infalíveis
  • H3: SEO on page schema markup na prática

Acima demonstramos um exemplo do que a grande maioria das páginas e blogs lhe irá aconselhar como sendo as melhores práticas para o SEO on page. Contudo, esta prática é bastante antiquada.

O Google em 2019, já é suficientemente inteligente para perceber sinónimos e palavras chave relacionadas, queremos com isto dizer que não é necessário fazer over optimization, ou seja utilizar apenas palavras chave exatas nas páginas.

Vamos mostrar como é verdade, tomemos como exemplo a consulta por “o melhor telemóvel”

o que é seo on page

 

Podemos verificar que na SERP (Página de resultados do mecanismo de pesquisa) apenas duas páginas correspondem à palavra-chave exata.

Inclusive a página da DECO PROTESTE surge como um estudo realizado à qualidade do aparelho. Este resultado de pesquisa só demonstra como o Google é de facto eficiente em apresentar o melhor conteúdo possível.

Dito isto, será que está pronto aprender as técnicas atuais de SEO on page?

Perfeito! Vamos de seguida partilhar consigo 8 técnicas base e mais importantes!

 

1. Search Intent – otimizar por intenção

Em todos os segmentos de mercado existe grandes players que tudo fazem para permanecer nas primeiras posições do Google.

Como resultado, acabamos por consumir demasiados recursos e tempo para os destronar. Contudo, vamos explicar um outro meio de o fazer e que trará vantagens a médio e longo prazo.

Search Intent – passamos a explicar.

Tendo como pressuposto que todos o motores de busca escolhem para ser apresentado nos resultados as melhores referências dependendo não só do assunto mas também da nossa intenção.

Será que a sua página tem o conteúdo certo para ser sequer apresentado em alguma posição do motor de busca?

Não deve esquecer que o modelo de negócio do Google e de todos os motores de busca têm por base servir o utilizador com o melhor resultado, então é lógico que o primeiro lugar está reservado aquele que melhor informação fornece.

Este é um mindset a ter em conta e que pode muito bem utilizar a seu favor, basta que entenda qual a palavra chave mais adequada ao Search Intent do utilizador, vamos fazer o experimento com “comprar sapatilha confortável”.

seo on page search intent

Estas são as páginas que o Google considera de alta classificação para a palavra chave “comprar sapatilha confortável”.

De salientar uma vez mais que o Google consegue perfeitamente identificar a nossa intenção de compra e não de esclarecimento de uma dúvida, pois o que nos é apresentado são EXATAMENTE páginas de produto.

seo on page search intent

Assim sendo, o Search Intent é nada mais nada menos, que otimizar a sua página para responder a uma intenção, tal e qual este artigo, que serve o propósito não só de lhe explicar o que é SEO on page como também elucidar quais as técnicas atuais.

Se pretende subir o seu posicionamento em determinada palavra-chave/tema, é desta forma que deve desenvolver a sua página.

Acreditamos que deve estar a pensar – como vou saber qual a intenção do utilizador?

Muito simples…

Uma das técnicas é fazer proveito das sugestões do Google, veja este exemplo com “comprar sapatilha confortável”:

seo on page search intent

Esta secção é geralmente apresentada no rodapé, aqui vai encontrar algumas pesquisas relacionadas, que de certo modo é os termos que os utilizadores usam para consultar.

Agora não tem desculpa para desenvolver uma página sem propósito.

 

2. A página deve carregar rápido

O que acontece quando abre uma página e demora 30 segundos para carregar?

Certamente vai clicar em voltar e escolher outra página. Esta é uma atitude comum a todas as pessoas do mundo moderno.

O Google sabe exatamente o trajeto que os seus utilizadores fazem. Inevitavelmente também sabe se eles abrem uma página e clicam em voltar passado poucos segundos.

Então por essa razão a partir de 2010 a velocidade de carregamento da página tornou-se fundamental para o SEO on page.

seo on page velocidade da pagina

Vivemos num mundo cada vez mais digital, mais acessível e rápido, não seria de esperar que os motores de busca também ficassem mais exigentes.

Assim, existe dois fatores a ter em consideração no que toca à velocidade de carregamento da página, primeiro é a recente implementação da versão mobile que está cada vez mais em voga.

Então é fundamental as páginas estarem preparadas para carregar os dados a partir de uma banda de internet 3G, 4G e outras.

Segundo, vamos imaginar que hipoteticamente a sua página ocupa o primeiro lugar no Google, mas demora imenso tempo a carregar os dados, já sabemos o que vai acontecer antemão… o utilizador nem vai ler o conteúdo simplesmente irá clicar em voltar.

A melhor forma de testar e melhorar a velocidade da sua página é começar por consultar a ferramenta do próprio Google. Esta analisa e também fornece dicas de otimizaçãoPageSpeed Insights.

Considere desenvolver as suas páginas de modo a não demorar mais que 2 segundos para carregar. Isto porque o Google afirma que 53% dos utilizadores clicam em voltar, se a página demorar mais de 3 segundos.

Conclusão, todas as suas páginas devem ter uma velocidade de carregamento boa, mas não obsessivamente boa, até porque conseguir 100 / 100 no PageSpeed Insights são milésimos de segundo que não irá trazer qualquer adição na classificação do seu SEO on page.

 

3. Aplicar estrategicamente a palavra-chave no conteúdo, título, meta e tags

Neste momento deve-se estar a questionar – mas então disseram no início que era uma técnica de SEO do passado e agora…

Pretendemos dizer que as aplicações das palavras chave devem ser realizadas de forma estratégica e não por padrão, ou seja, deve ser utilizada com naturalidade. Mais ainda, nem todos os locais da página onde habitualmente se aplica as palavras chave têm o mesmo resultado como no passado.

Se reparar ao longo deste artigo vamos aplicando vários termos relacionados com o SEO onpage, criando assim uma maior amplitude do assunto.

Off the record – as meta tag de palavra chave não são necessárias utilizar religiosamente, isto porque o Google já não considera da mesma maneira.

Após um estudo da Ahrefs em 2M palavras chave, descobriram que existe uma pequena relação entre a classificação da página e a aplicação estratégica das mesmas sejam de correspondência exata ou ampla.

Concluíram assim, que esta ação vai ajudar os motores de busca a perceber que o conteúdo tem maior relevância do que uma página com a utilização de correspondência exata, podendo assim melhorar progressivamente a sua classificação na SERP.

Vamos colocar um desafio!

Imagine que está a decorar a sua sala de estar e pretende “comprar papel de parede”.

Vamos apresentar duas opções de escolha como sendo o resultado no motor de busca. Qual escolhia?

 

Comprar Produtos para Parede | MARCA
meusite.com/parede/
Está a necessitar decorar a sua parede? Temos uma ampla gama de produtos para parede. #parede. Confira as nossas ofertas!

 

Papel de Parede | Loja de Decoração | MARCA
meusite.com/decoracao/papel-de-parede-sala/
Na nossa loja de decoração vai encontrar uma vasta gama de papel de parede. Para sala de estar, quarto, hall e outros – Transporte gratuito.

 

Já se decidiu?

Garantidamente será o último. Esta tem a palavra chave no título, e também pelo contexto parece ser a que apresentará a maior oferta.

Assim sendo, a utilização de palavras chave exatas pode ajudar a determinar o resultado para o utilizador, mas pondere utilizar um contexto natural e não forçado.

Existe também casos em que a palavra chave exata não é fácil de aplicar, por exemplo – “influenciadores redes sociais”, ao deparar-se com esta situação deve manter uma escrita natural.

Não se preocupe o Google vai entender, ora veja:

seo on page palavras-chave

Obviamente faz muito mais sentido escrever assim. Portanto, isto leva-nos a concluir que não tem de aplicar obrigatoriamente a palavra-chave exata no seu conteúdo.

Utilize palavras chave relacionadas, sinônimos, etc. Em outras palavras aplique de forma estratégica e natural.

Conclusão, tome esta página como exemplo, além de explicar detalhadamente técnicas atuais de SEO onpage, contem palavras relacionadas com a otimização de sites. Isto para que o Google classifique como sendo um excelente conteúdo para o utilizador.

 

4. Utilize Url amigáveis

A utilização má ou a não utilização das url como arma de SEO é talvez um dos erros mais comuns na construção da página e até mesmo na estrutura de um site.

É bastante comum este detalhe passar despercebido e depois encontramos dois tipos de url como os que vamos exemplificar:

  1. https://www.jornaldodia.com/artigo/322345.php
  2. https://www.jornaldodia.com/noticias-de-ultima-hora

O novo desafio é – em qual dos dois URL consegue facilmente perceber qual o assunto que vai encontrar na página?

Portanto, não é necessário ser um génio para entender que no segundo temos uma URL amigável.

Assim sendo, existe alguns motivos pelas quais esta é sem dúvida uma excelente técnica de SEO on page.

Como já mencionado num ponto anterior, a URL amigável ajuda a construir a sua página e aumenta a probabilidade de os motores de busca apresentarem no seu resultado, visto que ajuda o utilizador a entender facilmente qual o assunto da página.

Além disso, uma URL amigável costuma incluir palavra(s) chave.

seo on page url amigável

Acreditamos que neste momento possa estar a pensar – mas já tenho a estrutura do site criada, tenho de alterar as URLs? Não!

Esta técnica é apenas mais um fator de classificação como tantos outros, não é necessariamente obrigatório o fazer, se já tem páginas criadas e estão indexadas no Google, não altere!

Off the record – Se pretende verificar, basta no campo de pesquisa do Google escrever “site:meusite.com”, irá ser apresentado todas as páginas do seu site que estão indexadas na SERP.

Portanto, todas as páginas que criar a futuro considere fazer uso da URL amigável, para isso siga estas três indicações:

  • A URL amigável deve ter uma dimensão curta
  • A URL amigável deve incluir a palavra chave principal
  • A URL amigável deve ter clareza

Conclusão, a URL amigável é um fator de SEO on page que ajuda a aumentar a relevância da sua página na apresentação da SERP, se o seu site já está criado e aparece no Google, não altere nada!

5. Utilizar a alt tag nas imagens e nome no arquivo

Sabia que 14% da população portuguesa tem um impedimento visual?

Estes utilizadores podem depender da utilização de uma lupa de tela para combater este obstáculo. Então faz com que a alt tag e o nome de arquivo de imagem seja fundamental para uma boa parte da população e já vamos explicar o motivo.

Alt tag é uma descrição de imagem que serve de etiqueta para os motores de busca saberem do que se trata.

Com efeito, a alt tag deve ser utilizada como uma descrição de imagem, pois é comum as imagens falharem no carregamento da página e invés de ficar um espaço vazio, será apresentado algo como:

<img src=”/comprovando-seo-na-vip.png” alt=”resultados de seo comprovado na vip.

Assim, deve tentar desenvolver uma descrição para a sua imagem com a maior clareza possível, tanto no alt text como no nome do arquivo, este último trará bastante relevância.

Assim como, se tiver possibilidade de incluir a sua palavra chave principal melhor ainda. Mas seja natural, nunca faça o over optimization (veja o exemplo).

  • Imagem 1 – comprovando-seo-na-vip-1.png
  • Imagem 2 – comprovando-seo-na-vip-2.png
  • Imagem 3 – comprovando-seo-na-vip-3.png

Este tipo de técnica SEO só irá ter como resultado um penalti pelos motores de busca. Evite!

Já ponderou a razão pela qual o Google disponibiliza a Google Image Search, e mais, até tem um relatório de desempenho só para imagens na Consola de Busca do Google?

Pois bem, isto só reforça o facto de que otimizar as imagens é um detalhe importante no SEO on page, sendo mais uma forma de trazer trafégo qualificado para o seu site.

seo on page alt tag

Na imagem que apresentamos acima, pode verificar que o nosso blog teve perto de 2 MILHÕES de impressões só com Imagens no Google e apenas nos últimos três meses.

Como resultado, obtivemos 2685 cliques nas nossas páginas a partir de Imagens no Google.

Para uma loja local ou loja web e commerce esta pode ser uma enorme vantagem, já que o Google agora disponibiliza uma nova funcionalidade na SERP os “pacotes de imagens”.

seo on page alt tag

Conclusão, utilize a alt tag para descrever de forma clara do que se trata a imagem e também dar um nome ao arquivo, se possível incluir a palavra chave principal, mas sem fazer over optimization.

Esta técnica de SEO on page é das que exige menos esforço e vale bem a pena o seu tempo de implementação.

 

6. Schema markup para aumentar o CTR (quando apropriado)

Certamente já viu algo como esta imagem em dado momento da sua pesquisa:

seo on page shema markup

Estes resultados com classificação por estrelas, comentários ou imagens são chamados de Schema markup e ajudam de certo modo os motores de busca a entender melhor qual o conteúdo da sua página.

Primeiramente, pode parecer estranho ou confuso. Mas se analisarmos o Schema, este vai aumentar a “credibilidade” da sua página na SERP.

Claro está, que os utilizadores tendem a ser atraídos não só pelas imagens como pela avaliação/classificação de outros utilizadores, criando um efeito positivo na decisão de consulta ou compra.

Contudo o Schema markup não fica por aqui…

É possível definir as marcações como: objetos, lugares, coisas e outros. Deste modo, os motores de busca vão saber especificamente o que é o título, autor, imagem, preço, etc. Veja o exemplo que se segue:

seo on page shema markup

Deve-se estar a questionar – a utilização do Schema markup vai aumentar exponencialmente a minha margem de lucro?

Não propriamente, mas pode ter influência no aumento da taxa de abertura da sua página de produto.

Ainda assim, existe páginas que não beneficiaram de todo com a utilizam das Schema markup, querendo isto dizer que irá ser útil para páginas de produtos, artigos de blog e serviços.

Um caso prático para perceber se necessita de utilizar obrigatoriamente as Schema e em quais páginas, é consultar as suas palavras chave principais e verificar se na SERP a sua concorrência as está a utilizar. Então aí será determinante se deve ou não aplicar esta técnica.

 

7. Aumente a “relevância temática”

Vamos fazer um novo desafio.

Vamos enumerar um grupo de palavras, onde todas são ingredientes de cozinha e utensílios que necessita para cozinhar uma receita que certamente conhece bem.

Agora tem de adivinhar qual é a receita através dos ingredientes e utensílios da seguinte lista:

  • Frigideira
  • Manteiga
  • Ovos
  • Fiambre
  • Sal
  • Espátula

 

Consegui? A sério? Muito bem! – É certamente uma Omelete de Fiambre

Bom, se está a questionar o porquê deste desafio, foi somente para demonstrar como os motores de busca “indexam” e fazem a “correlação” das suas palavras e frases.

Portanto, é deste modo que o Google consegue identificar qual o conteúdo ou página com a melhor relevância para o utilizador, através da “correlação” de palavras e frase, exatamente conforme fez com os ingredientes acima.

Por exemplo, imaginemos que tem uma página com uma descrição “Receita SABOROSA de omelete de fiambre”.

Não é de estranhar que o Google consiga adivinhar qual o assunto da sua página apenas com base nessa descrição. Mas essa suposição irá terminar, passando a decisiva assim que o Google ler o conteúdo da sua página – o Sitemap.

seo on page palavras relacionadas

Assim sendo, é muito pouco provável que a sua página aborde outro assunto a não ser uma receita de omelete.

Conclusão, considere aumentar a “relevância temática” para que os motores de busca no momento de fazem a “correlação” do seu conteúdo, os ajude a perceber qual o assunto da sua página. Para tal, deve incluir palavras e frases relacionadas semanticamente.

 

8. Desenvolver conteúdo simples e legível

Esta é a técnica mais importante no SEO on page, de nada vale ter um excelente web design, receber uma quantidade infinita de visitantes e ter um conteúdo ilegível.

Desenvolva conteúdo para o público-alvo – esta é a premissa.

Já imaginou se este artigo tivesse sido escrito de forma incoerente, talvez nem tivesse chegado até aqui. Não é verdade?

Até acreditamos que havia uma enorme probabilidade de clicar mais rápido no “voltar atrás” do que dizer “UNO!”

Bom, como já mencionado num dos pontos acima, o Google é extremamente inteligente e monitoriza o trajeto que o utilizador faz nas páginas e site.

Essa análise serve para o Google detetar como o utilizador interage com o seu conteúdo, se continua a navegar no seu site, se fica muito tempo na página ou se volta atrás e entra em outra página da concorrência.

off the record – O último ponto não seria um bom sinal, para sermos sinceros.

Vamos partilhar consigo algumas das dicas que consideramos quando desenvolvemos o serviço de marketing de conteúdo:

  • Utilize frases e parágrafos curtos
  • Não seja formal, mas também não muito informal
  • Escreva dirigido a um leitor e não a vários

 

Conclusão sobre o SEO on page

Quando desenvolve uma página orientada com SEO on page, o que se pretende é fornecer o máximo de informação aos motores de busca de forma natural.

Sendo que estes utilizam a “correlação” de frases e palavras é também importante incluir palavra(s) chave exatas e amplas, aumentando assim a probabilidade de relevância do assunto.

Obviamente, se não conseguir desenvolver esta tarefa, não haverá qualquer quantidade de “otimização” que o vá ajudar a classificar.

Este artigo menciona quais os alicerces do SEO on page. Contudo, os resultados variam consoante o segmento de mercado e as atualizações dos motores de busca. Ainda assim, se aplicar no mínimo a “técnica do passado”, ou seja, a palavra chave exata nos locais corretos sem over optimization, será o mínimo indispensável.

Acredite, vai dar tudo certo!

Sempre que necessitar de esclarecer alguma dúvida utilize o nosso formulário de contacto, a equipa da Convergente Agência de Marketing Digital, terá todo o gosto em receber notícias suas.

alt, alt tag, aumentar trafego site, aumentar visitas no site, mais trafego, otimização, otimização de sites, palavra chave, schema, seo, seo onpage

Os nossos clientes


© Copyright 2019, Convergente. Todos os direitos reservados.